Segunda, 02 Dezembro 2019 19:59
BANCO DO BRASIL

Funcionários do BB aprovam proposta de recuperação da Cassi

O SIM obteve 67,4%. Sindicalistas avaliam que resultado foi uma vitória dos trabalhadores e uma derrota do projeto privatista do governo
Rita Mota: “O resultado representa uma vitória dos funcionários e uma derrota do projeto privatista do governo Bolsonaro” Rita Mota: “O resultado representa uma vitória dos funcionários e uma derrota do projeto privatista do governo Bolsonaro”

Os funcionários do Banco do Brasil conseguiram uma vitória importante para garantir a recuperação da Cassi, a Caixa de Assistência dos Funcionários da empresa. Dos 167.557 associados, 124.267 (74,16%) participaram da votação. A proposta foi aprovada pelos associados com 67,4% dos votos válidos. O SIM obteve 81.982 votos e o NÃO 39.608. A grande participação do funcionalismo mostrou a sua compreensão quanto a importância da aprovação da proposta para recuperar a Cassi.
“O resultado representa uma vitória dos funcionários, pois se a proposta fosse recusada a Cassi correria o risco de ser extinta, o que representaria mais um passo para o ministro da Economia Paulo Guedes abrir caminho e privatizar o Banco do Brasil. Foi sem dúvida, uma derrota para o governo Bolsonaro, que joga pesado em favor de uma política privatista”, explica a diretora do Sindicato, Rita Mota. O pleito foi realizado de 18 a 28 de novembro.
Rita lembra ainda que a proposta elaborada em conjunto com as entidades representativas dos trabalhadores mantém o caráter solidário da Cassi.
“Quem ganha mais, contribui com mais e quem ganha menos tem uma contribuição menor”, completa a sindicalista.
Foi mantida também a solidariedade para os dependentes. A contribuição paga pelo BB será usada não somente para os dependentes dos funcionários da ativa, mas também para os dependentes dos aposentados.
O desembolso de um aposentado com dependente será de 2% limitado a R$300. Para os funcionários da ativa, caso ele tenha família com três dependentes, a contribuição estipulada é de 1,75%, sendo 1% para o primeiro dependente, 0,5% para o segundo e 0,25% para o terceiro. Por sua vez o banco contribuirá com 3% para cada dependente até o terceiro.