Segunda, 04 Novembro 2019 19:38

BB aceita proposta discutida entre as entidades do funcionalismo e a Cassi

Proposta de reforma do estatuto da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) discutida entre as entidades do funcionalismo e representantes da Cassi, aprovada pela diretoria executiva e conselho deliberativo da instituição, apresentada e aprovada pelo conselho diretor do banco. Para que entre em vigor necessita da concordância dos associados, em votação até o fim do ano. Caso seja aprovada, está previsto aporte adicional para a Cassi de até R$ 588 milhões em 2019.
A proposta prevê também a liquidação antecipada, pelo banco, de obrigação contratual de R$ 450,9 milhões referentes ao ressarcimento do déficit do Grupo dos Dependentes Indiretos (GDI), formado por cerca de 2.300 usuários, inscritos como tal antes de 2007. Rita Mota, diretora do Sindicato e integrante da Comissão de Empresa dos Funcionários, lembra que a Caixa de Assistência enfrenta sérias dificuldades financeiras, tendo a direção fiscal da Agência Nacional de Saúde (ANS), limitado a 30 dias, a partir do último dia 6, o prazo para a apresentação de proposta de saneamento, ou a opção poderia ser a alienação da carteira do plano de associados e transferida para o mercado de saúde privado. A ANS não garante as condições de uma suposta transferência para mercado, apenas seria garantido o período de carência.
A partir de agora será feito um trabalho de esclarecimento da proposta aos associados. Para ser aprovada, precisará do apoio de pelo menos 2/3 dos votantes. A consulta deve acontecer até o fim de novembro.
R$ 1 bilhão
As entidades representativas acordaram com o banco que, se a mudança no estatuto for aprovada, o BB aportará de imediato R$ 1,006 bilhão para o Plano de Associados: R$ 450 milhões relativos à antecipação de pagamento de todas as parcelas futuras de responsabilidade do banco no GDI; R$ 415 milhões para pagar contribuições patronais para dependentes de ativos retroativas a janeiro de 2019; e R$ 141 milhões relativos às despesas administrativas de todo o ano de 2019.