Segunda, 23 Setembro 2019 20:48
ASSOCIAÇÃO BRASIL/BRADESCO

Defesa das sedes campestres

Patrimônios da Associação Bra­sil, como as sedes campestres utilizadas por antigos funcionários do Bamerindus, correm risco de extinção. Quando o banco foi vendido para o HSBC, as sedes foram mantidas, mas agora, nas mãos do Bradesco, correm sério risco de serem vendidas após o corte de verbas por parte do banco, que quer se desfazer das unidades de lazer.
Sindicatos na luta
A assembleia realizada na segunda-feira (16) em Curitiba, teve como principal objetivo a reprovação das vendas de unidades pertencentes à AB. Oito diretores ligados aos movimentos sindicais se mobilizaram na reunião e conseguiram empate de 8 a 8, impedindo um novo leilão com valores abaixo da quantia real, assim como havia ocorrido no dia 9 de setembro.
De acordo com informações da Contraf-CUT, diretores da Associação Brasil ligados aos aposentados pretendem vender as unidades fora de Curitiba, o que de fato, está sendo impedido por vias democráticas por parte da outra metade de dirigentes, visando reestruturar a instituição para receber novos associados e garantir a sustentabilidade das sedes campestres.