Segunda, 23 Setembro 2019 20:44

Sindicato participa de fiscalização no Santander e cobra itens de segurança

Adriana Nalesso, Marcos Vicente e o deputado estadual Carlos Minc (PSB-RJ) cobraram mais segurança nas unidades do Santander, durante fiscalização que contou com agentes da Polícia Federal Adriana Nalesso, Marcos Vicente e o deputado estadual Carlos Minc (PSB-RJ) cobraram mais segurança nas unidades do Santander, durante fiscalização que contou com agentes da Polícia Federal

Na última quinta-feira, 19 de setembro, dirigentes do Sindicato dos Bancários do Rio, o deputado Carlos Minc (PSB) e agentes da Polícia Federal foram às agências do Santander, no centro da cidade, exigir o cumprimento da Lei de Segurança Bancária, o dia do “cumpra-se”.
Em maio, o Sindicato enviou ofício ao banco espanhol, solicitando o cumprimento da Lei, já que foram retiradas portas giratórias com detector de metais e outros itens de segurança nas agências, deixando os funcionários e clientes desprotegidos.
“Essa atitude do Santander é totalmente absurda. O banco deixa de cumprir uma lei estadual e coloca em risco a segurança de seus funcionários. A porta giratória com detector de metais dificulta a entrada de uma pessoa armada e, consequentemente, aumenta a proteção não só da bancária e do bancário, como também dos clientes”, afirmou Marcos Vicente, diretor do Sindicato.
A presidenta do Sindicato, Adriana Nalesso, lembrou que o banco precisa ser responsável pela integridade de seus funcionários, clientes e usuários.
“O Santander lucrou mais de R$7 bilhões só no primeiro semestre deste ano, um aumento na lucratividade de 21% em relação ao período anterior. O banco espanhol precisa respeitar a legislação brasileira”, declarou.