Quarta, 29 Mai 2019 18:11

Bancários denunciam assédio moral em agência do Bradesco, na Carioca

Sindicato não descarta a possibilidade de paralisação na agência Rio Branco, 181, caso a pressão continue sobre os funcionários da unidade
O assédio moral gera depressão e doenças psiquiátricas no trabalhador.  A Câmara dos Deputados aprovou projeto que torna crime este tipo de prática O assédio moral gera depressão e doenças psiquiátricas no trabalhador. A Câmara dos Deputados aprovou projeto que torna crime este tipo de prática

O Sindicato recebeu várias denúncias de prática de assédio por parte da gerência da agência Rio Branco, 181, no Centro do Rio. Segundo os relatos dos bancários, funcionários chegam a passar a mal e a chorar copiosamente em função da pressão por metas e são tratados de forma grosseira. Há empregado tomando remédios e com depressão. Em alguns casos, a estratégia de cobrança é o desprezo. A diretora da Fetraf RJ/ES (Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Adilma Nunes, que além de bancária é psicóloga, disse que tem tentado, em vão, um diálogo para pôr fim ao assédio na unidade.
“Já conversei várias vezes com a gerência tentando encontrar uma solução para o problema, mas as práticas continuam, num total desrespeito aos bancários. A pressão tem adoecido os funcionários. Se a prática continuar, o Sindicato vai realizar uma paralisação na unidade e buscar todos os meios para garantir uma relação de trabalho saudável e justa”, afirma Adilma.