Terça, 14 Maio 2019 16:03

Itaú planeja fechar 400 agências no Brasil

Escrito por Gabriel de Oliveira

O Itaú Unibanco pretende reduzir 400 agências em todo território nacional, representando aproximadamente 10% dos 4,2 mil postos físicos da instituição. A redução deve ser gradual e afetará postos de trabalho e bancários do maior banco privado do país. A medida considerada “reposicionamento da rede de agências, coerente com as necessidades do cliente”, focando mais nas transações bancárias por meio de canais virtuais, funcionários já receberam a notícia seguido de um futuro incerto dentro da instituição.

“Mesmo com um lucro de R$6,9 bilhões nos três primeiros meses deste ano, um crescimento de 23,6%, o maior entre os bancos privados do Brasil, o Itaú anuncia que vai fechar agências e impulsionar ainda mais as demissões na categoria. Mesmo que seu marketing insista em falar sobre responsabilidade social, na prática a única preocupação do banco da família Setúbal é elevar ainda mais os lucros à custa da miséria dos trabalhadores”, critica a diretora de Imprensa do Sindicato Vera Luiza Xavier.

 

Desprezo pelos funcionários

 

O processo deve ocorrer em duas etapas: a primeira, em doze meses deve encerrar metade das agências, enquanto no ano seguinte, o processo final será realizado, conforme afirma o site Exame.

O Itaú Unibanco tem concentrado seus esforços em desenvolver projetos digitais, pois neste ano o banco abriu 35 canais virtuais a mais do que o mesmo período do ano passado. Nesse meio tempo, seus funcionários têm ficado em segundo plano, pois nos últimos dias representantes do banco comunicaram os bancários das futuras mudanças e afirmaram que deverá aproveitar apenas “parte dos funcionários” para trabalhar virtualmente.

A iniciativa é liderada pelo diretor-geral Márcio Schettini, responsável pelas ações de varejo do conglomerado do Itaú. O argumento de queda no movimento das agências parece ser o combustível necessário para o banco seguir demitindo, mesmo que seus lucros só aumentem consideravelmente.