Sexta, 08 Fevereiro 2019 20:12

 Empregados da Caixa conquistam ressarcimento de custos do CPA20

Na abertura da negociação, os membros da comissão realizaram um ato com cartazes e faixa em defesa da Caixa 100% pública e contra o fatiamento do banco. Na abertura da negociação, os membros da comissão realizaram um ato com cartazes e faixa em defesa da Caixa 100% pública e contra o fatiamento do banco.


​Sindicatos cobram ampliação do direito a todos os empregados. Auxílio-combustível para Gerentes de Canais de Atendimento é mais uma vitória

Empregados da Caixa Econômica Federal tiveram uma importante vitória: a extensão do direito ao ressarcimento do valor gasto com o Certificado Profissionalizante (CPA-20) - que faz parte do Programa de Certificação Continuada criado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) - aos empregados substitutos eventuais integrantes dos bancos de sucessores, desde que seguidos os procedimentos descritos na norma da empresa (atualização do normativo RH 142). 
“Este avanço mostra a importância da pressão dos sindicatos e da mobilização dos bancários. Nossa batalha agora é ampliar o direito para todos os empregados”, explica o diretor da Fetraf-CUT, Ricardo Maggi. 

Auxílio-combustível

Na primeira negociação do ano, dia 1º de janeiro, em Brasília, os bancários da Caixa conquistaram outra vitória importante na mesa de negociação: o banco anunciou que desde o dia 17 de janeiro já está disponível para os Gerentes de Canais de Atendimento (GCAN) o auxílio combustível para estes empregados utilizarem nas visitas aos parceiros e lotéricos. Essa é uma reivindicação histórica da categoria.

Novos concursados

A Caixa informou que vai contratar concursados aprovados no concurso de 2014, mas disse que não há previsão de quando ou quantas pessoas serão realmente convocadas. A preocupação dos sindicatos é também quanto as condições de trabalho dos novos empregados, com a precarização do trabalho permitida pela nova legislação trabalhista. Com a reabertura do Programa de Desligamento Voluntário Extraordinário (PDVE), mais 1.426 empregados se desligaram. O banco tem hoje 84.952 trabalhadores. Em 2014 eram 101 mil empregados. 

Condições de trabalho e saúde

A Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) defendeu ainda o fim da Gestão de Desempenho de Pessoas (GDP), utilizada pelo banco para promover descomissionamentos, além de transparência e o fim das discriminações nos Processos Seletivos Internos. 
Após muita pressão dos sindicatos, ficou definido na negociação com a Caixa a retomada dos debates de dois grupos de trabalhos paritários: GT Saúde Caixa, que deverá se reunir no dia 19 de fevereiro, e GT Saúde do Trabalhador no dia 20