Informativo On-Line:

Cadastre-se e receba o informativo do sindicato por email.

Proposta do Banco do Brasil é insuficiente

NOTÍCIAS

07, agosto 2018 21:30

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil considera a proposta do banco insuficiente

Comando orienta as assembleias de todo o país a rejeitarem a proposta

Na sexta rodada de negociação, nesta terça-feira (7/8), em São Paulo, os representantes do Banco do Brasil apresentaram uma proposta incompleta e insuficiente, na avaliação dos dirigentes da Comissão de Empresa dos Funcionários e da Contraf-CUT que participaram do encontro. O BB concordou em manter a maioria dos itens já constantes do acordo específico, porém, faltou uma proposta completa para as econômicas. O banco apenas acompanhou a proposição de reajuste da Fenaban, muito rebaixada.
No documento a ser entregue pelo BB, há ajustes no texto de alguns pontos do atual acordo. A direção do banco se comprometeu a passar a proposta de nova redação antes da próxima reunião, ainda sem data definida.
Uma das mudanças é na cláusula sobre ciclos de avaliação para descomissionamento da Gestão de Desenvolvimento Profissional (GDP). O banco havia proposto um semestre e agora propõe dois.
Para Rita Mota, diretora do Sindicato e integrante da Comissão de Empresa, a proposta tem que ser rejeitada por ser insuficiente e incompleta. E draconiana, por seguir a da Fenaban, que pretende impor quatro anos sem aumento real. “Há muitas pendências, respostas que não foram dadas, nenhum avanço e propostas que não atendem as nossas reivindicações. Deste jeito, tem que ser rejeitada”, defendeu.
Respeitar a GDP original
Falando especificamente sobre os ciclos de avaliação, disse que o banco tem que se comprometer, no acordo, a respeitar e fazer respeitar as diretrizes da GDP. “Ela foi criada para auxiliar no desenvolvimento profissional do funcionário. Mas da maneira como vem sendo aplicada, não apenas não faz isto, como passou a servir, unicamente, como instrumento para descomissionar e assediar o funcionalismo. O BB tem que se comprometer no acordo a respeitar os princípios da GDP ao aplica-la”, afirmou.
Outras cláusulas serão discutidas como a do intervalo de almoço e parcelamento de férias. O BB também não apresentou proposta de renovação do protocolo de resolução de conflitos, que mantém um canal para as denúncias de assédio moral. A Comissão de Empresa avalia que assim como os ciclos de GDP, essa cláusula é uma proteção para os funcionários. Um ponto positivo é na cláusula de ausências autorizadas, onde serão incluídos padrasto e madrasta dos funcionários.

Votação de delegados sindicais

Em aditamento ao edital de convocação para eleição de delegados sindicais do Banco do Brasil, publicado no último dia 19 de junho, o Sindicato informa que a votação, em caráter suplementar, será realizada de 6 a 9 de agosto.

 

Comentários


Para comentar você precisa estar logado.


Leia também:


18, October 18

Funcionários do Itaú recebem 13ª cesta-alimentação no dia 26

18, October 18

Empresas pagaram milhões para disseminar fake News pelo WhatsApp em favor de Bolsonaro

17, October 18

Retorno do risco de privatizações ameaça bancos públicos e o futuro do Brasil