Informativo On-Line:

Cadastre-se e receba o informativo do sindicato por email.

Sindicato pressiona para Fenaban atender reivindicações na negociação desta quinta

NOTÍCIAS

09, julho 2018 20:05

Bancários param a agência da Haddock Lobo, na Tijuca, contra o assédio e as demissões em massa no Itaú

Os bancários aumentam a pressão sobre os bancos para garantir a renovação de todas as 71 cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, preservando direitos históricos conquistados em anos de muita luta coletiva e greves. A próxima negociação com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) é nesta quinta-feira, dia 12 de julho, em São Paulo. Na primeira reunião, os bancos se negaram a assinar o compromisso de garantir os direitos previstos na Convenção firmada em 2016 até que um novo acordo seja assinado. 
Paralisação no Itaú
Na quarta-feira (5/7) o Sindicato paralisou a agência Itaú Rio-Haddock Lobo, no Largo da Segunda-Feira, na Tijuca, em mais uma etapa das mobilizações do Rio de Janeiro para exigir que o banco marque uma negociação para discutir o fim do assédio moral, do processo de demissões, baseadas, muitas delas, nos critérios subjetivos do SQV (Score de Qualidade de Venda). Mobilizações semelhantes têm acontecido no restante do país com os mesmos objetivos.
A presidenta do Sindicato, Adriana Nalesso, criticou o Itaú, lembrando que o banco não tem nenhuma justificativa plausível para manter um permanente processo de demissões. “Tem batido a cada ano seus próprios recordes de lucro. Portanto, ao impor mais dispensas em um momento de crise no restante da economia, coloca em situação muito difícil os bancários, suas famílias, ajudando a aumentar o desemprego, prejudicando todo o país do ponto de vista social e econômico, por pura ganância”, afirmou. 
Mobilizações continuam
O prédio da Rio-Haddock Lobo foi o escolhido por nele também funcionar o escritório onde ficam os Gerentes de Suporte Operacional (GSOs). O Sindicato recebeu denúncia de que um destes gestores usava o assédio moral para pressionar seus subordinados a atingir as metas absurdas de venda de produtos. Durante a paralisação, o setor de Relações Sindicais do Itaú ligou para Adriana, para negociar a suspensão do movimento, recebendo como resposta que isto só seria possível caso o banco aceitasse marcar a negociação sobre assédio, demissões e SQV. Como não houve novo contato na ocasião, a paralisação foi mantida. Maria Isabel, integrante da Comissão de Organização dos Empregados (COE) advertiu que as mobilizações vão continuar até que a reunião seja agendada. No fim da tarde, o setor de Relações Sindicais do Itaú fez contato, se comprometendo a marcar o encontro para a próxima semana.
O diretor do Sindicato, Adriano Campos, acrescentou que já tinha sido levado ao banco, em março, denúncia do grave problema de assédio moral praticado por um GSO, cobrando o fim deste comportamento. Ao não responder, o Itaú acabou incentivando outros gestores a fazerem o mesmo. “O fato vem se repetindo em outras regiões, o que torna a negociação ainda mais urgente”, advertiu.

Calendário da Campanha Salarial 
Data Atividade
Quarta (11) Caravana Ipanema/Leblon e Campo Grande/Atividade Itaú digital (Botafogo)
Quinta (12) Negociação com a Fenaban (São Paulo)
Caravana Méier e Campo Grande
Sexta (13) Negociação CEF e Negociação do BB
Ato empresas públicas (12h, Metrô da Carioca) 
Terça (17) Caravana Copacabana e Zona Oeste
19 e 26 Distribuição do Jornal Bancário no Centro

Comentários


Para comentar você precisa estar logado.


Leia também:


16, July 18

Só a mobilização poderá arrancar proposta dos bancos até 1º de agosto

16, July 18

Caixa diz amém à Fenaban e também se nega a assinar pré-acordo

16, July 18

Banco do Brasil aceita calendário de negociação após pressão dos sindicatos