Informativo On-Line:

Cadastre-se e receba o informativo do sindicato por email.

Santander demite apesar do lucro astronômico em 2017

NOTÍCIAS

16, maio 2018 19:15

Os diretores Marcos Vicente, Arnaldo Malaquias e Adriano Garcia vão manter a fiscalização nas agências, no combate ao trabalho precário

O Santander demite, apesar de ter obtido o melhor resultado financeiro em 2017, comparado com anos anteriores. No Brasil, o banco lucrou cerca de R$10 bilhões, o que corresponde a 26% do resultado global no mesmo período. Com as demissões, funcionários e clientes sofrem os efeitos da precarização – sobrecarga de trabalho e queda na qualidade do atendimento. O ranking de reclamações elaborado pelo Banco Central não deixa dúvida sobre este aspecto da realidade dentro do banco, com ênfase nas dispensas na área operacional.
Intimidação
Há algum tempo, o banco iludiu os funcionários com a criação do cargo de agente comercial. Sob o argumento de que a nova função seria uma promoção e um crescimento na carreira, o banco induziu muitos caixas a aderirem ao novo cargo. “Melhor dizendo, em vez de indução foi uma intimidação”, disse o diretor do Sindicato Marcos Vicente, complementando que os sindicatos foram contrários à criação desse cargo. “Entendíamos que o banco queria, na verdade, era acumular funções e não deu outra: pouco tempo depois de criar o cargo de agente comercial, o Santander passou a demitir os assistentes comerciais. Como se não bastasse, ainda demitiu uma expressiva quantidade de caixas”, contou o sindicalista.
Flagrante
Mesmo com a destacada posição no ranking de reclamações, o Santander voltou a demitir no Rio, aumentando o transtorno nas agências sempre lotadas e com funcionários a menos. Os diretores do Sindicato Marcos Vicente, Adriano Garcia e Arnaldo Malaquias flagraram, recentemente, três agências com apenas um caixa cada uma para atender aos clientes. Eles vão continuar esse trabalho de fiscalização nos próximos dias. Os bancários e bancárias podem denunciar a realidade de suas agências. O Sindicato manterá o sigilo.
Mais exploração
O banco se aproveita da reforma trabalhista e do desrespeito aos funcionários. Trabalhadores do Call Centre Vila Santander Carioca estão sendo obrigados a permanecer nas dependências do banco por até 9 horas, sendo uma de almoço, para treinamento em demandas de cartões. Os assistentes do setor de conta corrente são, na verdade, da função “faz tudo”. Atendem a quase todos os segmentos e ainda vendem produtos. “Tudo isso, segundo denúncia que o Sindicato recebeu. Agora, os funcionários estão sendo agraciados com mais essa atribuição, tudo com tempo cronometrado, e o pior, sem receber nada a mais por isso”, registra a sindicalista Fátima Guimarães. Vale lembrar que eles são funcionários de 6 horas, com 20 minutos de almoço, sem autorização para fazer horas extras. São obrigados a aderir ao banco de horas, que amplia para até 6 meses a compensação de horas, com o aval do setor jurídico do banco.

Comentários


Para comentar você precisa estar logado.


Leia também:


18, October 18

Funcionários do Itaú recebem 13ª cesta-alimentação no dia 26

18, October 18

Empresas pagaram milhões para disseminar fake News pelo WhatsApp em favor de Bolsonaro

17, October 18

Retorno do risco de privatizações ameaça bancos públicos e o futuro do Brasil