Informativo On-Line:

Cadastre-se e receba o informativo do sindicato por email.

Dia de luta contra o fim de ferramentas de avaliação no BB

NOTÍCIAS

09, outubro 2017 18:27

Os funcionários do Banco do Brasil da Região Sudeste farão, nesta quarta-feira (11/10), um Dia de Luta, com uma série de protestos contra a extinção da Gestão de Desempenho por Competências (GDP) e o Radar do Gestor. O anúncio de que o banco estaria pondo fim a estas duas importantes ferramentas de avaliação foi feito pela diretoria de Distribuição Sudeste (Disud), em reuniões com os superintendentes e gerentes gerais.
A mudança abre as portas para o aumento do número de descomissionamentos, já que, segundo a diretoria Sudeste, as análises de desempenho terão critérios definidos pelos superintendentes, de acordo com a ordem do diretor, e não será considerada a nota da GDP, se “precisar” retirar o cargo de alguém. A GDP foi instituída para medir o desempenho dos funcionários, após décadas de desenvolvimento e milhões de reais gastos em tecnologia e treinamento, o mesmo acontecendo com o Radar do Gestor.
No caso da GDP, para ocorrer o descomissionamento eram necessárias três notas semestrais negativas, consecutivas, segundo previsto no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), assinado entre o Banco do Brasil e as entidades sindicais. Agora, basta a avaliação subjetiva do gestor para a perda da comissão, a partir de critérios definidos pela diretoria.
A extinção do Radar atinge os gerentes gerais. É um sistema de pontuação baseado em critérios objetivos para a ascensão. Sem esta ferramenta, a escolha passa a ser aleatória, ficando a promoção a critério da superintendência ou da direção do banco.
Wagner Nascimento, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, disse discordar da decisão da diretoria de abandonar essas ferramentas de avaliação para adotar critérios subjetivos  e cortar cargos. “Esperamos que o banco atenda a nossa reivindicação de instalar uma mesa de negociação sobre GDP e volte a adotar essa ferramenta como critério de avaliação, ao invés de deixar as pessoas à mercê da vontade de um superintendente ou diretor”, afirmou.

 

Leia também:


16, October 17

Nesta quarta, empregados da Caixa lançam campanha do vermelho contra privatização

16, October 17

BB: Sindicato fará reunião, no Sedan e no Andaraí, sobre ações e reforma trabalhista

16, October 17

Cresce mobilização na Caixa contra o desmonte e a privatização